Por que não comprar animais de estimação?

Quando eu era criança, meu sonho era ter uma casa em um terreno enorme e por toda a volta deste terreno ter canis com as mais diversas raças de cães. Eu trabalharia cuidando deles e vendendo os filhotes. Já na adolescência eu vi sonho era impraticável. Comprar uma casa em um terreno enorme não é barato, cuidar de tantos cães são é fácil e eu com certeza me apegaria aos filhotes.

Meu sonho na adolescência passou a ser ter uns 10 gatos, cada um de uma raça. Eu passava horas pesquisando e olhando sites de gatis que vendiam Maine Coons, pois este era meu principal sonho de consumo.

Foi só no final de 2010 que eu aprendi que cuidar de um animalzinho não é algo a ser feito por aparência. Foi só naquela virada de ano que eu de fato entendi que amor não se compra.

Naquele ano novo me apaixonei por dois barrigudinhos, remelentos. Sem nome, sobrenome, muito menos raça ou Pedigree. Abriguei, dei comida e carinho e desde então recebo muito amor e cumplicidade em troca.

Pra mim foi necessário passar por toda essa experiência de resgate pra conseguir criar consciência de que não devemos comprar animais. Entretanto, espero que este post ajude a quem ainda pensa em comprar um animal a repensar a sua vontade.

De minha parte eu vejo que a minha vontade de ter animais de raça partiu de dois pontos. Na minha infância, eu sempre ia visitar meus parentes e amigos dos meus pais e normalmente eles tinham algum cão de raça tratado com todas as mordomias e algum outro cão que ficava na rua sem muito paradeiro e era tratado como “ah, esse aí é um vira-lata que apareceu por aqui”. Eu como criança queria um cão tratado com mordomia e dentro de casa e não um que ficava perambulando e as vezes nem nome tinha. Não entendia eu, que o “vira-lata” podia e devia também ser tratado com mimos. Já na minha adolescência o exemplo vinha de cantores, atrizes e blogueiras. Todos com animais de raça. Eu queria usar o mesmo batom, a mesma marca de roupas e ter a mesma raça de animal. Você já percebeu como a maioria das blogueiras até faz um ou outra publicação incentivando adoções, mas o seu bichinho sempre é de raça?

Não me entendam mal, todos os animais merecem um lar, amor e carinho. Tendo eles raça definida ou não. Não há problema algum em adotar um animal de raça que está precisando de abrigo. O problema é comprar e incentivar o comércio de vidas.

Pra mim a principal motivação para não comprar animais é que a cada animal que sai de uma Pet Shop é mais um animal que não sai das ruas. A pessoa viu que tem condições financeiras para sustentar um bichinho, tem muito amor para dar e está em busca de um companheiro. Ou seja, ela tem todas as condições necessárias para resgatar um animal que está passando frio, fome, sede, e enfrentando perigos nas ruas. Se você pode e quer ser tutor de um bichinho porque não buscar um que quer e precisa muito de um lar?

Tem todo o tipo de cão e gato (e até outros animais) para serem adotados. Tem pequeno, médio grande, peludo, com pouco pelo, adulto, filhote… E com as mais diversas aparências e personalidades!

Te proponho o seguinte. Se estiver pensando em comprar um animal, visite algumas ONGs da sua cidade. Tenho certeza que você sairá de lá com o pensamento mudado e possivelmente já com o seu novo amigo no colo.

Outro grande motivo é o sistema de compra e venda de animais em si. Vidas sendo tratadas como mercadorias.

Você já pensou em todo o processo?  Primeiro, pra se ter filhotes é preciso o coito entre os animais. Que em alguns lugares até acontece de forma natural. Mas, é um processo lucrativo como qualquer outro. As fêmeas tem o seu pico de período fértil. Não se pode perder uma oportunidade de ninhada, pois não ter ninhada significa não ter dinheiro e se não tem dinheiro a empresa entra em falência. Sendo assim, vai ter procriação sim, custe o que custar.

Depois os filhotes vão parar em lojas de animais em cubículos onde ficam por horas como meros produtos em uma prateleira esperando que eles sejam bons o suficiente pra que alguém acredite que eles merecem receber um lar. Houve uma época que eu adorava ficar olhando os bichinhos. Hoje eu confesso que eu desvio o olhar, pois a cena me causa uma indignação absurda.

E o que se faz com produtos que não são vendidos? Exato, são descartados. Existem os mais diversos relatos, desde animais que são abandonados até animais que são sacrificados. Dos que conseguem se manter nos seus canis, não são muitos os que são bem tratados, a grande maioria ou se torna reprodutor e continua na cadeia de abusos ou é mantido com os suprimentos básicos por ali só aguardando a morte mesmo.

Novamente a empatia tem que entrar em cena. Você, mulher, gostaria de ser abusada, passar a sua vida engravidando em sequencia e tendo seus filhos tirados de você?

E por fim, existe o fato de que animais “de raça” não são naturais. O natural é que animais da mesma espécie se reproduzam e ocorra a adaptação pelo ambiente e a seleção natural. Onde de forma natural acontecerá de animais de mesma espécie que vivem em na mesma região acabem apresentando semelhanças com base nas características mais fortes que foram passadas ao longo dos anos.

Animais de rua tem uma expectativa de vida bem pequena por conta das diversas adversidades que passam nas ruas, mas animais sem raça definida em geral possuem uma saúde superior a animais de raça exatamente pelo fato de a sua genética trazer o que teve de mais forte até ali, sem filtros ou interferência do homem.

Animais de raça, em principal os com focinho achatado, possuem muitos problemas respiratórios, problemas na dentição entre outros.

Que tal adotar um animalzinho ao invés de comprar? Tenho certeza que você não irá se arrepender! 😉

Update: Segue um infográfico bem bacana que o pessoal do Amor aos Pets fez! (para ler mais clique aqui) 🙂

amoraospets.com

Deixe uma resposta