Roteiro Gastronômico Vegano da Viagem para Cancun e Playa del Carmen

No inicio de abril viajamos para o pedacinho do paraíso que fica no México. Passamos 5 noites em Cancun e 3 noites em Playa del Carmen. Curtimos muito cada minuto de cada lugar que visitamos e comemos muita comida gostosa!!

Já postei lá no Instagram, mas resolvi fazer um resumão aqui no blog também para ficar de fácil acesso para quem estiver procurando opções veganas pela região. 🙂

Cerca de uma semana antes tínhamos contatado a companhia aérea e solicitado refeições veganas. No total foram mais de 10h de voo pela Copa Airlines e nos foram servidas várias refeições ao longo deste período. Nas refeições perecíveis eles acertaram e não havia nada de carnes, queijos ou derivados. Entretanto, nos itens industrializados erraram feio! Veio margarina, biscoitos com ovo… 🙁 Fiquem de olho!

Ao chegarmos em Cancun fomos logo comer comida tradicional mexicana no Casa Tequila, que ficava bem próximo ao nosso hotel. Eles têm uma seção do cardápio inteira vegana.

Optamos por tacos, burrito e ainda uma porção de fritas. De entrada ainda trouxeram nachos com molhinhos de pimenta. Tudo uma delicia!

Tudo veio super bem servido e acabou sobrando comida. É tudo bem temperado e sacia rápido.

A noite fomos ao clássico Señor Frog’s para curtir um pouco da badalação de Cancun no período de Spring Break.
Não tínhamos grandes pretensões de comer por lá, mas o atendente foi super dedicado e conseguiu para nós um burrito e um bowl sem nada de origem animal.

Quando conseguimos adiantar o nosso voo e aumentar nossa estadia no México decidimos por incluir no roteiro um passeio para Las Coloradas para conhecer as incríveis lagoas rosas!

Fechamos o passeio com a Travel Ahead que nos deu toda a atenção possível tanto quanto ao passeio quanto em dicas sobre Cancun. 🙂

Las Coloradas fica bem longe de Cancun e o passeio ainda incluía outros destinos (com as ruínas de Ek Balam e lagoas com crocodilos e flamingos), almoço estava incluso.

A agência e o guia passaram com precisão ao restaurante a nossa solicitação de comida vegana.
O restaurante acertou no quesito vegano, porém nos trouxe “comida de passarinho”. 🙁
Nos foi servido um prato com frutas e legumes picados.
A ogrinha aqui que tinha acordado super cedo e ainda ia caminhar bastante ao longo do dia ficou sentindo falta de uma comida “com sustância”. Hehehe

Como somos precavidos, tínhamos levado salgadinhos para enganar a fome até a hora da janta. É essa é a dica que eu dou, sempre andar com algum lanchinho na mochila para não acabar passando fome. 😉

Pertinho da região mais badalada de Cancun tem o Restaurante Natura com várias opções veganas no cardápio. Pegamos um burger com batatinhas bem gostoso e queríamos experimentar as massas, mas o garçom não nos informou que a cozinha fechava antes do restaurante e quando fomos pedir eles não estavam aceitando mais pedidos.

O Vegan Planet foi nossa primeira paixão gastronômica. Foi amor à primeira garfada com um macarrão incrível! Só de lembrar já fico com vontade de voltar! Também experimentamos o burger e o bolo de chocolate. Tudo muito gostoso!

Este restaurante é mais longe da zona hoteleira, mas é possível chegar facilmente nele de ônibus. Ele tem um cardápio enorme incrível! Vale muito a pena!

Ainda na região mais movimentada de Cancun fomos conhecer o Hard Rock Cafe. Poucas opções vegetarianas e nada claramente vegano, acabamos pegando uma batatinha e nachos adaptados.

Queríamos conhecer o Caribe Vegano, mas infelizmente não conseguimos encaixar nossa disponibilidade no horário de atendimento deles. 🙁

Optamos então por repetir a dose e ir novamente no Vegan Planet. Desta vez, o menino que nos atendeu, talvez se perdendo na tradução, entendeu errado nosso pedido e nos trouxe duas massas diferentes da que tínhamos pedido.

Pedimos para trocar e nos trouxeram então a massa que de fato queríamos (igual ao dia anterior), porém desta vez com outro tipo de macarrão e com menos molho. Estava boa, mas no primeiro dia estava definitivamente melhor. Pedimos também uma pizza para experimentar e o cheesecake.


Bem pertinho do nosso hotel tinha o Ah Barbaro e resolvemos ir lá para comer uma comidinha mexicana. A música alta e o barulho da rua atrapalhou bastante o entendimento na hora do pedido. Tentamos portunhol, inglês e ainda sim foi difícil de conseguir fazer o pedido. O cardápio não tem de forma clara as opções veganas e demorou até que por fim conseguimos pedir uma comidinha. Que estava bem gostosa por sinal!

Passamos um dia em Isla Mujeres e através do Happy Cow vimos várias opções por lá. Tudo bem pertinho da praia mais famosa da ilha, porém a maioria que encontramos estava fechado. 🙁

Depois de entrar em um lugar cabuloso e “invadir” um restaurante árabe estávamos quase desistindo de almoçar quando então encontramos o Aroma Isla. Comida muito gostosa, bem servida e barata!

Já em Playa del Carmen, um lugar bem lindinho que descobrimos caminhando pela Quinta Avenida foi o 100% Natural. Pedimos só um suquinho, que estava uma delicia! Infelizmente não estávamos com tempo ou fome para comer algo, mas vimos várias opções veganas no cardápio. 🙂

Tiramos um dia para ir no parque Xel-Ha. Para minha surpresa a maioria dos restaurantes de lá tinham plaquinhas indicando quais as opções no buffet que eram veganas! 😀

De negativo, o parque tem atividades extras com animais presos, como golfinhos (aliás isto é algo muito comum por lá…). Muito triste ver os animais presos. 🙁 Felizmente não vimos quase ninguém perto destas atividades, espero que eles em breve removam este tipo de “atração”.

Tínhamos planejado ir no Comet 584, porém pouco antes de nos dirigirmos até lá, vimos que fechava as 21h. Aliás isso foi algo que achei muito ruim, a maioria dos restaurantes fecha cedo! Aí se você aproveita o dia todo na praia, só com muita correria para conseguir voltar pro hotel, tomar banho e se arrumar a tempo pra conseguir jantar em um lugar bacana. 🙁

Como já tinham passado das 21h optamos por ir no Bio-Orgánicos, um restaurante que ficava bem pertinho do nosso hotel. Queríamos comer macarrão, porém por estar “tarde” nos limitaram as opções do menu então acabamos escolhendo o burger. Não era a massa que queríamos, mas estava bem gostoso!

Foi no nosso passeio em Cozumel que nos apaixonamos novamente por um restaurante. O Cali Café é incrível! Nosso breakfast foi maravilhoso com sanduíche, tofu mexido com torradinha e as melhores panquecas que já comi!

Gostamos tanto que voltamos depois do nosso mergulho para experimentar o burger! ^^

Tiramos uma noite para ir no Xplor Fuego. Ao contrário do Xel-Ha, lá foi mais difícil de conseguir comida vegana.
O restaurante fecha 1 hora antes do parque então é preciso controlar o tempo entre as atividades para conseguir ir jantar a tempo. Chegando lá não encontramos nada identificado como vegano e pelo tempo curto não tinha como sair perguntando cada coisinha então a opção mais certeira foram saladas e frutas.

Na caminhada para pegar o coletivo para mais um dia de passeios encontramos a BIO-Natural, um mix de restaurante com lojinha de produtos naturais. Vimos várias opções veganas no cardápio e decidimos parar para comer um delicioso tofu mexido no café da manhã! 🙂

No caminho de volta para o nosso hotel encontramos o La Senda Vegana. Não tínhamos planos de comer nada no momento, mas resolvemos parar para dividir um lanche e experimentar um pouquinho da comida do local. Gostei bastante do burger que pedimos e fiquei com vontade de experimentar outros itens do cardápio em uma próxima vez

Para fechar com chave de ouro nossas comilanças da viagem fomos no Marvin’s Burgers. Lugar vegano incrível com lanches deliciosos e bem elaborados! Yumm! Vale muito a visita!!!

Extra:

Animais

A região de Cancun/Riviera Maya é bem preservada e é um lugar incrível para ver animais em seu habitat natural. Durante nossos poucos dias lá tivemos a oportunidade de ver diversas espécies de pássaros e peixes, lulas, arraias, tartarugas, coatis, cobras, crocodilos, morcegos e flamingos e esquilo! <3

Produtos Veganos
Nos mercados mexicanos não encontramos quase nada explicitamente vegano. Encontramos apenas um queijo em um supermercado e outro tipo de queijo na BIO-Natural.

Idioma
É fato, países de língua espanhola, o portunhol acaba reinando! hehe Porém, eu aconselho fortemente um breve estudo de espanhol. É importante saber o básico para facilitar o entendimento, principalmente ao ler rótulos e cardápios.

Saber inglês também facilita muito, por lá, 99% das pessoas que encontramos falavam inglês. Os estabelecimentos também costumam ter o cardápio em inglês! 🙂

Custo
Infelizmente eu não guardei as notinhas ou anotei os valores que pagamos nas refeições. 🙁

Em nosso roteiro inicial, eu tinha programado 700 pesos por refeição para duas pessoas. Tinha contabilizado apenas uma refeição em restaurante por dia, visto que o resto do dia estaríamos passeando e provavelmente não teríamos opções veganas pelo trajeto. Nos 700 pesos eu estimei pelo menos 2 pratos salgados, 1 sobremesa e 2 bebidas. Estimei um valor alto para não sofrer com imprevistos. No fim, o valor que gastamos em cada refeição foi bem menor do que este, as vezes, apenas metade deste valor. O que nos possibilitou desfrutar de outros restaurantes que encontramos pelo nosso caminho e ainda sim sobrar uma graninha.

Para chegar neste valor eu entrei em contato com os restaurantes que eu pretendia visitar e pedi para eles o cardápio. Peguei como base os valores mais caros que encontrei. Melhor sobrar do que faltar! 🙂

É preciso ter em mente também que todo restaurante espera que você deixe gorjeta, porém não é inclusa na nota. Na nota, dependendo do lugar, vem sugestão de 10%, 15% ou 20%… Aliás, todo serviço lá espera (ou pede) gorjeta, desde o guia turístico, ao motorista…então prepare-se para gastar um pouquinho a mais do que o esperado…

É preciso também sempre ficar de olho na cotação do dólar em cada lugar. A maioria dos lugares aceita tanto dólar quanto pesos, porém varia muito saber no que é mais vantajoso pagar. Aconselho andar sempre com dólar e pesos, saber o quanto está a cotação nas casas de cambio e ao chegar no estabelecimento conferir a cotação de lá pegar sua calculadora e ver o que vale mais a pena. 🙂

Bom, acho que era isso! Espero que este post seja útil para os veganos e vegetarianos que estiverem planejando uma viajem para Cancun/Riviera Maya!

Comenta aqui se tiver alguma dúvida ou quiser dicas sobre o planejamento, voo, hotel, passeios etc. Vou adorar ajudar! 🙂

Receita | Sopa de Abóbora

A receitinha que vou compartilhar hoje com vocês é super saudável e nutritiva! Essa sopinha de abóbora é uma delicia muito fácil de se preparar e leva apenas 5 ingredientes. Ótima para fazer nestes dias frios de inverno! 🙂

Ingredientes:
  • 4 fatias de abóbora
  • 1/2 cebola
  • 1 copo de água
  • 1 pitada de curry
  • sal à gosto

Modo de Preparo:
  • Coloque a cebola, a abóbora e a água em uma panela e leve ao fogo.
  • Assim que a cebola e a abóbora cozinharem, coloque o conteúdo da panela em um liquidificador e bata até ficar uma mistura homogênea.
  • Coloque de volta na panela, adicione os temperos e leve ao fogo por mais uns 2 minutinhos. Se necessário adicione um pouco mais de água.

E está pronta uma sopinha bem gostosa e reconfortante! 🙂

Ideia de Refeição | Macarrão ao Alho e Óleo

Meu objetivo (e de boa parte das pessoas) é se alimentar de forma mais balanceada e saudável, porém tem dias que estamos na correria, cansados e com vontade de comer algo rápido e gostoso. Para estes dias, minha dica é: macarrão ao alho é óleo. É uma comida extremamente rápida de se preparar, bem gostosinha e mata a fome!

Macarrão ao alho é óleo, além de ser rápido e fácil de ser preparado, é uma ótima opção para quando não existem muitas opções de ingredientes na dispensa. Para fazer bastam apenas quatro ingredientes super básicos: macarrão, alho, óleo e sal.

Macarrão

Não existem regras quanto ao macarrão, pode ser de qualquer tipo. Os meus preferidos para esta preparação são espaguete, parafuso e penne.

Alho

A quantidade de alho vai a seu gosto. Eu gosto de colocar bastante! 😀 Você pode picar ele bem pequeninho ou se estiver com muita pressa apenas fatiar ele, como na foto.

Óleo

Acredito que dê para fazer com a maioria dos óleos vegetais sem grande alteração de sabor. Aqui em casa eu costumo usar azeite de oliva ou óleo de soja mesmo.

Sal

Para temperar basta adicionar sal no cozimento da massa e um pouquinho junto na hora de refogar o alho.

Para a preparação ser a mais rápida possível, coloque a água para ferver enquanto corta o alho, depois de cozinhar a massa é só refogar o alho na própria panela em que a massa foi cozida e misturar o refogado com a massa. 🙂

É uma comida gostosinha e fácil de preparar! 🙂 Eu gosto de comer com molho de pimenta. Outra ótima opção também é salpicar pimenta calabresa e orégano por cima. 🙂

Espero que tenham gostado da dica! Em breve venho com mais ideias de refeições para compartilhar por aqui. 😉

Receita | Sheer Yakh Vegano

As vezes eu fico pensando na infinidade de alimentos e receitas que existem por aí. Nós costumamos ter um repertório bem limitado de receitas no dia a dia e a rotina faz com que deixemos de experimentar muitas coisas diferentes que existem. Inspirada nestas minhas reflexões, semana passada decidi fazer uma receita baseada na culinária típica de algum outro país. Resolvi então tentar reproduzir uma versão vegana de um sorvete afegão (nomeado Sheer Yakh) e vim aqui compartilhar com vocês. 🙂

Ingredientes
  • 1 xícara de leite vegetal
  • 1/2 xícara de leite condensado vegetal
  • 1/4 xícara de leite vegetal em pó
  • 1 colher de chá de essência de baunilha
  • 1 pitada de açafrão em pó
  • 2 sementes de cardamomo
  • 1 colher de sopa de amido de milho
  • 1 colher de chá de água de rosas
  • 2 colheres de sopa de água
  • Pistache picado à gosto

Modo de Preparo
  • Em uma panela coloque o leite vegetal, o leite condensado vegetal, o leite vegetal em pó e as sementes de cardamomo e leve para o fogo.
  • Em um pote misture a água com o amido de milho.
  • Assim que o conteúdo da panela ferver adicione o amido de milho diluído em água e misture.
  • Deixe ferver por um minuto, deligue o fogo, adicione a baunilha e o açafrão e misture.
  • Coloque no freezer por pelo menos 8h.
  • Quando estiver congelado leve ao triturador até ficar cremoso e com a textura de sorvete.
  • Sirva e adicione a água de rosas e pistache por cima.

Nunca provei a versão original, mas resolvi fazer para experimentar combinações diferentes de ingredientes. Gostei bastante do resultado! Infelizmente não sei dizer se ficou semelhante ao original. Se alguém fizer e já tiver provado o original, me conta por favor! 🙂

Receita | Cheddar McMelt Vegano

Estes dias resolvi fazer um burger diferente e para isto peguei como inspiração o Cheddar McMelt do McDonalds e criei uma versão vegana do lanche! 🙂

É uma versão inspirada, porém com ingredientes veganos. Obviamente não fica com o mesmo gosto, porém eu acredito que fica melhor visto que não tem morte e sofrimento envolvidos! 😉

Vamos à receita!

Ingredientes

  • 2 pães para hambúrguer com gergelim veganos
  • 1 cebola grande picada
  • 2/3 de xícara de queijo cheddar vegano
  • 4 colheres de sopa molho shoyu
  • 1/2 xícara de creme de leite vegano
  • 1 e 1/2 xícaras de água
  • 1/2 xícara de proteína de soja texturizada
  • 3 colheres de sopa de óleo
  • 3 colheres de sopa de farinha de trigo
  • Sal a gosto

Modo de Preparo
Burger
  • Leve 1 xícara de água ao fogo. Quando estiver fervendo, despeje a água sobre a proteína de soja texturizada e deixe hidratar por cerca de 15 minutos.
  • Bata metade da cebola com 1/2 xícara de água no liquidificador e leve ao fogo até formar um creme.
  • Passado o tempo de hidratação da proteína texturizada de soja, escorra e lave algumas vezes para remover ao máximo o gosto forte da soja.
  • Em um pote misture o creme de cebola, com a proteína de soja texturizada hidratada, a farinha, 2 colheres de shoyu e sal a gosto.
  • Modele os hamburgueres na mão mesmo e já coloque em uma frigideira para fritar com 2 colheres de óleo. Depois de fritar os dois lados os hambúrgueres estão prontos.
Cebola
  • Leve metade da cebola ao fogo baixo com 1 colher de óleo e 2 colheres de shoyo. Tampe a panela para cozinhar por cerca de 2 minutinhos e depois refogue até começar a grudar.
Queijo
  • Leve o queijo ao fogo baixo em uma panela tampada. Assim que estiver derretendo adicione o creme de leite vegano e mecha até formar um creme homogêneo. Experimente e adicione sal se achar  necessário.
Pão
  • Corte o pão e toste as metades internas dele em uma frigideira.
Montagem
  • Para montar basta colocar o burger no pão, depois colocar o queijo e então a cebola e a outra metade do pão!

É um pouquinho trabalhoso, mas fica uma delícia! Ótimo para dar uma variada e comer um lanche diferente no fim de semana! 🙂

Receita | Doce de Leite de Amêndoas e Coco

Estes dias eu estava louca para comer doce! De colherada mesmo, sabe?! Resolvi fazer então um doce de leite um pouco mais natural, que ao invés de açúcar branco, leva Stevia e açúcar de coco.

Esta versão que venho compartilhar com vocês hoje é super gostosa, pois fica com pequenos resquícios de coco que dão uma texturizada no doce  e fica com um sabor todo especial por conta do leite de coco e leite de amêndoas.

Ingredientes
  • 700ml de leite de amêndoas
  • 80ml de leite de coco
  • 4 colheres de sopa de açúcar de coco
  • 1 colher de sopa de adoçante Stevia

Modo de Preparo

Para fazer o doce de leite, basta misturar bem todos os ingredientes e levar ao fogo baixo até engrossar e ficar na textura de doce de leite. É importante mexer eventualmente para não deixar grudar na panela.

Feito isto está pronto um docinho gostoso para colocar no pão, usar em receitas ou comer de colher como eu fiz! 😛

Resenha | Pão para Hambúrguer Integral – Wickbold

Quando eu falo sobre algum hambúrguer caseiro que fiz, normalmente recebo dúvidas não só sobre o bife, mas também sobre o pão. Pode parecer que os pães de hambúrguer levam leite em sua composição, mas felizmente a grande maioria deles não.

Além de se preocupar com o leite,  é sempre importante cuidar para conferir se não tem mel (normalmente em pão australiano) ou até mesmo gorduras de origem animal.

Certa vez estava louca para fazer hambúrguer em casa e comecei a catar uma opção vegana no mercado. Após algumas leituras de embalagens achei o Pão para Hambúrguer Integral da Wickbold que me pareceu ser uma boa opção. Para ter certeza de estar fazendo uma escolha correta, conferi no grupo Trollajuda no Facebook e para a minha felicidade ele estava listado lá como uma opção vegana! 🙂 Desde então, praticamente só tenho comprado deste, visto que é bem fácil de achá-lo em Porto Alegre na rede Zaffari de supermercados.

Esta opção de pão é comercializada em uma embalagem contendo quatro unidades de 50g cada.

Pão para Hambúrguer Integral Wickbold

O pão não é 100% integral, mas também não é o falso integral. Ele tem a farinha de trigo integral como seu principal ingrediente.

Ele pode conter traços de leite e ovos, portanto não é indicado para quem tem alergia ou para quem opta por não comprar produtos com traços.

Pão para Hambúrguer Integral Wickbold

Ele tem o tamanho perfeito para fazer hambúrgueres. Não é pequeno a ponto de não caber um bife de hambúrguer, nem muito grande a ponto de o bife se perder lá dentro. A altura dele também é bem apropriada para o uso. O tamanho dele é ótimo.

Por cima ele não tem gergelim, e sim uns farelinhos.

Pão para Hambúrguer Integral Wickbold

Ele bem aerado e consequentemente bem fofinho. Todos que eu comprei até agora sempre estavam macios e deliciosos!

Pão para Hambúrguer Integral Wickbold

Este pão tem um sabor levemente adocicado, por conta do açúcar mascavo em sua composição. Eu acho o sabor dele ideal para fazer hambúrgueres que levem em sua composição cebola refogada com shoyo. A combinação fica perfeita!

Pão para Hambúrguer Integral Wickbold

Se você está na dúvida de qual pão de hambúrguer escolher para fazer o seu próximo lanche vegano, este pão de hambúrguer da Wickbold é uma ótima opção! 🙂

Receita | Suco de Beterraba com Laranja, Limão e Gengibre

Eu já tinha mostrado por aqui uma versão de suco de beterraba com frutas cítricas. Hoje venho mostrar uma versão ainda mais cítrica, mais concentrada e mais saudável, pois não tem adição de água nem açúcar!

Suco de Beterraba, Laranja, Limão e Gengibre

Ingredientes
  • 1 beterraba pequena descascada e picada
  • 1 pedacinho de gengibre
  • suco de 1 limão
  • 1 copo de suco de laranja

Suco de Beterraba, Laranja, Limão e Gengibre

Modo de Preparo

Bata todos os ingredientes no liquidificador, coe e está pronto! 🙂

Suco de Beterraba, Laranja, Limão e Gengibre

Receita Fail | Queijo de Mandioca

Já fazia um tempo que eu não passava por aqui para mostrar os meus desastres culinários. Não, ainda não virei uma exímia cozinheira e continuo aprontando algumas artes na cozinha que não funcionam. 🙁

Estes dias inventei de fazer o clássico Queijo de Mandioca. Se você for em qualquer grupo vegano no Facebook com certeza encontrará pessoas exibindo seus maravilhosos Queijos de Mandioca. De tanto ver as fotos incríveis me animei a fazer também. Porém, o meu ficou uma bela porcaria!

Receita Fail - Queijo de Mandioca

O problema começou quando coloquei os ingredientes no liquidificador. A pasta é muito firme e o pobrezinho do liquidificador não estava dando conta! Quando começou a sair uma fumacinha desisti de bater o resto e a mistura acabou ficando com uns pedacinhos de mandioca ainda sem desmanchar. Era isto ou perder de vez o liquidificador!

Levei ao fogo conforme a receita, coloquei nos recipientes, levei a geladeira e deixei para desenformar somente na manhã seguinte para tomar café da manhã. Na hora que coloquei nos potes já vi que ele não ficaria no exato formato, pois ele estava não estava mole o suficiente para se adequar exatamente a forma.

Quando a manhã chegou e eu fui tentar desenformar vi que o queijo ainda estava bem grudado nos potes e não queria sair de forma alguma. Tive que ir soltando com uma faca na lateral até conseguir tirar do pote. Ele tinha ficado com uma gosminha por toda a volta que fez com que ele grudasse no pote e não desenformasse.

Ao tentar cortar o queijo vi que ele não estava firme, e grudava parte na faca, parte no prato e parte na minha mão enquanto eu tentava desgrudar do resto.

Fiquei bem chateada com a aparência e textura, mas resolvi dar uma chance e colocar no pão para fazer uma torrada. Fazendo isto a textura continuou exatamente a mesma de antes, e, não sei porque, não aqueceu por completo.

O gosto em si não ficou ruim, dá para comer. Porém o preparo em si e a textura foram um desastre! Dificilmente irei me arriscar a tentar fazer novamente este tipo de queijo. Vou tentar as demais alternativas antes de voltar a me aventurar em algum com mandioca. 🙁

Alguém aí já fez um queijo de mandioca perfeitinho? Qual o segredo?? hehe

PANC | Ora-pro-nóbis

De uns tempos para cá eu comecei a ouvir muito sobre a Ora-pro-nóbis. A mais popular entre as PANCs (Plantas Comestíveis Não Convencionais) é indicada como uma planta de fácil preparo, com alto teor nutricional e muito proteica.

Eu tinha me interessado sobre ela, mas nunca tinha ido atrás. Foi minha mãe que um dia chegou em casa com uma mudinha da planta para cultivarmos.

O que aconteceu foi que ninguém teve muito tempo para tratar dela de forma apropriada e acabou que semanas depois da muda chegar em casa eu acabei arrancando a maioria das folhas para enfim conseguir experimentar este alimento diferente.

Ora-pro-nóbis

Como ela era de fato muito pequeninha, não era possível que eu fizesse um refogado ou um molho pesto. O que fiz então foi refogar ela com alho, cebola, tomate, shitake e misturar ao macarrão.

Macarrão com Ora-pro-nóbis

Comi algumas folhinhas separadas do resto para entender o sabor e a textura. Achei a textura um pouco diferente de tudo que eu já comi, é como se fosse um espinafre mais suculento. O sabor é bem sutil. Não tem gosto forte de nada, porém o gostinho que da para sentir é bom. Com certeza um refogado só destas folhas ficaria muito bom!

Em resumo, eu adorei a ora-pro-nóbis! Indico à todos que experimentem, inclusive os que não são muito chegados em verduras.

Só fiquei triste por não ter mais para poder fazer outras invenções na cozinha com ela. Espero conseguir reviver o que restou da mudinha para ter novas folhinhas no futuro! 🙂